Entrevista Fernanda Fichtner

10582197_673670802717392_639108088_nOG : Bem, inicialmente muito obrigado por conceder um pouco do seu tempo. Para começarmos poderia nos dizer o seu nome e idade? Fernanda: Olá, OG! Muito legal estar aqui com vocês, estou empolgada! Meu nome é Fernanda, 23 anos.

 

OG :  No momento você trabalha, estuda ou faz faculdade?

Fernanda: Sou funcionária pública e faço curso de arte digital na SAGA, a faculdade está trancada esse semestre, mas volto em fevereiro para concluir *Cruzando os dedos.

 

OG : Quando foi o seu primeiro contato com animes?

Fernanda: Quando eu tinha cinco anos de idade já assistia animes (Na época, é claro, eu nem sabia que eram chamados assim, fui descobrir isso depois), o primeiro anime que realmente acompanhei foi Dragon Ball.

Minha avó é japonesa e sempre tive grande incentivo para ter interesse na cultura do Japão, assistir animes veio com o pacote =D .

 

OG : Animes você tem algum, ou quais são seus preferidos?

Fernanda: Juro que não tenho um anime favorito, não dá para escolher por que cada anime que acompanhei tem um aspecto distinto que chamou minha atenção e me cativou o que torna bastante difícil decidir.  Porém, sou obrigada a admitir que no momento estou viciada como nunca em Shingeki No Kyojin…

 

OG : Todo mundo tem uma história para começar, você começou a fazer cosplay por influência ou porque você teve a ideia por si mesma?

Fernanda: Quanto eu tinha 9~10 anos de idade eu tinha um conjunto de moletom laranja, amarrava uma faixa de cabelo da minha mãe na cintura e brincava de Dragon Ball com meus primos, eu acho que já estava começando e nem sabia o que era isso ainda ehehehehehhee.

Mas comecei a fazer cosplays realmente depois que um amigo me convidou para meu primeiro evento em 2003 e eu fiquei fascinada com a possibilidade de ser os personagens que amo, alguns anos depois fiz meu primeiro cosplay e não parei por um bom tempo.10638156_673670612717411_754669493_n

OG : Qual foi o seu primeiro cosplay? E quais foram suas motivações para continuar a fazer seu trabalho? E dentre todas, qual foi a maior dificuldade que você encontrou?

Fernanda: Meu primeiro cosplay foi de Machi do HunterXHunter (Aliás, um dos poucos cosplays femininos que fiz). Minha motivação para continuar é simplesmente o quanto é prazeroso ser alguém de quem eu realmente gosto mesmo que por apenas alguns dias ou horas, nunca gostei de mim, sempre tive sérios problemas de autoestima e isso funciona como uma válvula de escape e ajuda bastante.

Minha maior dificuldade foi meu cosplay de Gaara, do Naruto (versão da saga clássica), foi terrível, na época não era tão fácil encontrar wigs ou comprar online e fazer o cabelo foi um desafio, tenho que admitir que NUNCA ficou bom ehehehehhehehehe.

Também tinha a questão do equipamento que ele carrega nas costas, primeiro eu fiz em gesso e ficou muito pesado, machucava, depois de algum tempo eu refiz utilizando duas daquelas bolas grandes que vendem em postos de gasolina, sabe? Encapei com tecido, mas ficou muito frágil e às vezes furava quando eu encostava em algo, então aposentei o cosplay de vez…

 

OG : Você faz seus próprios Cosplays? Exemplo: Roupa, acessórios, armas, armaduras e etc …

Fernanda: Antes eu fazia mais coisas, agora infelizmente não tenho tanto tempo e às vezes preciso de ajuda ou compro alguma peça online (nunca o cosplay todo), mas ainda procuro me envolver o máximo possível na criação.

 

OG : De todos os seus Cosplay , qual o seu favorito?

Fernanda: Levi, foi meu primeiro cosplay depois de alguns anos afastada dos eventos e a personalidade dele combina absurdamente com a minha. Ainda tenho toneladas de coisas para melhorar, estou fazendo tudo aos poucos, mas estou muito feliz com o resultado que obtive até agora.

 

OG : Qual a sensação ao finalizar seu cosplay? Você é muita assediada em eventos em questão de pedirem fotos suas?

Fernanda: A sensação é maravilhosa, mas quem é cosplayer sabe que mesmo que você deixe tudo prontinho alguma coisa dá errado no dia do evento e a gente vira mestre na arte de improvisar ehehehehehhehehe.

Com relação às fotos, alguns personagens fazem mais sucesso do que outros por que são mais elaborados ou mais populares, quando fiz a Machi poucas pessoas reconheciam ou reparavam, o mesmo vale para o meu cosplay de Misa do Death Note, é bastante simples e passa despercebido facilmente.

Já meus cosplays de Deidara e Levi fizeram bastante sucesso, no Anime Friends 2014 eu estava com um grupo e as pessoas tiraram MUITAS fotos. Fiquei bastante feliz com isso, mostra que gostaram, o que é bastante gratificante após ter tanto trabalho para fazer tudo =,D .

10613980_673671426050663_1435075684_n

OG : O que o mundo cosplay trouxe de bom para a sua vida pessoal ? Fernanda: Amigos, eu diria, antes de começar a frequentar eventos eu me sentia bastante deslocada, era difícil encontrar pessoas com os mesmos interesses, principalmente depois que comecei a ficar mais velha.

 

OG : Você se arrependeu de algum cosplay que fez? Ou pensa que poderia ter melhorado algum?

Fernanda: Arrependimento? Não, toda experiência é válida e ensina algo novo, mas aquela peruca do cosplay de Gaara ainda me assombra, sou obrigada a dizer T—T

Quanto a melhorar, é muito difícil achar um cosplayer que diga que não precisa melhorar nada, nós sempre queremos acertar um detalhe ou outro.

 

OG : O que seus pais acham de você fazer cosplay? Houve algum preconceito por parte deles ou dos seus amigos?

Fernanda: Minha mãe sempre deu bastante apoio, ela sabe que trabalho muito e estudo e entende que é apenas um hobbie. Meu pai não tem uma opinião sobre isso, nunca disse nada á respeito. Agora já não faz tanta diferença assim, não vivo mais com eles.

Colegas sempre tiveram bastante preconceito sim, ainda existe aquele estigma de que o cosplay é algo infantil e algumas pessoas dizem absurdos, cheguei a ouvir uma pessoa comentando que nos vestimos assim para rituais satânicos ehehehehhehehehehehehe.  Prefiro manter o fato de ser cosplayer entre meus amigos que já pertencem á esse meio, dessa forma evito problemas e não passo nervoso.

 

OG : Algum personagem em vista para um futuro cosplay ?

Fernanda: Não, pretendo melhorar meu cosplay de Levi antes de pensar em fazer outro, não estou interessada em iniciar um novo projeto. Sempre pensei em fazer o Gary de Pokemon ou Haku de A Viagem de Chihiro, mas não tenho nenhum plano oficial, provavelmente não acontecerá.

 

OG : Você já participou de algum concursou? Já ganhou algum prêmio? Se sim, qual?

Fernanda: Não! Eu morro de vergonha de subir no palco para uma apresentação cosplay, só imaginar já revira meu estômago.

 

OG : As pessoas já te reconheceram fora dos eventos como cosplayer? Ou nos evento sem que você estivesse com cosplay?

Fernanda: Na época em que eu fazia cosplay de Deidara, eu não usava wig ou maquiagem então era mais fácil de identificar. Depois disso não reconheceram mais, eu fico MUITO diferente quando estou de cosplay, principalmente por que tenho feito apenas personagens do sexo masculino. 10609275_673677019383437_1844016723_n

OG : Você gosta de música japonesa também? Quais são suas músicas, cantores(as) ou bandas favoritas?

Fernanda: Eu adooooro e inclusive canto, já tive algumas bandas. Gosto bastante de Maximum de Hormone, Direngrey, ALI Project, Onmyouza, KoujiWada… Ouço muitas coisas diferentes… Não tenho como escolher um favorito, o que vou escutar no dia depende totalmente do meu humor.

 

OG : Como hobby o que você gosta de fazer quando não esta nos eventos de cosplay ?

Fernanda: Desenhar, Jogar, cantar e escrever.

 

OG : Você curte games? Joga algum online ou console? Se sim, qual é seu jogo favorito?

Fernanda: Pare de pedir pra escolher um favorito, sou muito indecisa! Ehehehehhehehehehehe. Jogo sim e jogo bastante, atualmente não estou jogando nada online por que eu SEI que fico extremamente viciada, viro um monstro, e como quase não tenho tempo livre não posso me dar esse luxo =p

Já joguei MUITO Ragnarok, cheguei a ser até mesmo ADM, morro de saudades dessa época. Já joguei também Digimon Masters Online, Starcraft, Lord of The Rings Online, Age of Conan, Priston Tale, DC Universe Online e vários outros, já tive até aqueles momentos de jogar coisas mais bobinhas como DDTank ou DarkOrbit para relaxar quando não queria pensar muito ou não tinha tempo sobrando para jogar algo mais complexo.

Quanto aos consoles, tenho um Playstation 2, Xbox 360, Nintendo 64 e Nintendo 3DS, mas para ser sincera, prefiro jogos de computador.

 

OG : Já aconteceu alguma coisa engraçado ou inusitada com você em um evento ?

Fernanda: É meio difícil definir o que inusitado ou engraçado dentro de um evento, você sabe, tem muitas coisas peculiares, mas o local já é próprio para isso. Já me aconteceram algumas coisas na rua enquanto eu seguia para eventos, não necessariamente evento de Anime, na última ZombieWalk uma senhora me bateu com a bíblia no metrô, mas achei engraçado por que ela não tinha nenhuma força, se me machucasse já seria um problema.

Também houve um caso recentemente no trabalho, o DMT estava no meu carro por que no dia anterior o levei a uma loja para ver qual tinta seria melhor para utilizar naquele material, não tirei do carro por que estava chovendo, no dia seguinte uma colega de trabalho viu e disse para as pessoas que achava que eu tinha uma arma ou uma bomba no carro, os seguranças pediram para revistar… Foi estranho…

 

OG : Qual é a sua opinião sobre os cosplays atualmente? Você acha que eles melhores ou piores?

Fernanda: Não sei, sinceramente, sempre existiram cosplays elaborados e outros cujo nível é menor, mas atualmente é inegável que temos acesso ás coisas mais facilmente, o que vem criando potencial para que o nível dos cosplays aumente progressivamente. 

 

OG : Por fim, muito obrigado pela sua participação e por nos ceder essa entrevista. Se você quiser, deixe uma mensagem para seus fãs e amigos!

Fernanda: Muito obrigada pela oportunidade, OG, foi divertido. E desculpem, eu me empolgo e escrevo MUITO, mas isso acontece por que tenho paixão pelo que faço =D

Eu tenho fãs e amigos? Ehehehehehehehehhee … De qualquer forma, aqui vai à mensagem: Eu sei que ainda enfrentamos preconceito e muitas pessoas não entendem por que essa prática nos proporciona felicidade, mas faça o que você ama, seja feliz, extravase, TOQUE O FODA-SE… A vida é muito curta!10621938_673671629383976_1691826752_n

You may also like...

Deixe uma resposta