/* ]]> */

Entrevista Eduardo Kiss

IMG_2639

OG : Bem, inicialmente muito obrigado por conceder um pouco do seu tempo. Para começarmos poderia nos dizer o seu nome e idade?

Eduardo : Claro, nem precisa agradecer rapaz, Vamos lá: Eduardo Kiss e tenho 32 anos

 

OG :  No momento você trabalha, estuda ou faz faculdade?

Eduardo : Eu terminei a faculdade faz 2 anos, continuo trabalhando e estou me programando para fazer o MBA no ano que vem.

 

OG : Quando foi o seu primeiro contato com animes? 

Eduardo : Certeza que foi quando nem se falava em anime no Brasil, assistindo Zillion na TV aberta. Passava antes dos 3 patetas e eu achava incrível. Depois apareceu os Cavaleiros do Zodiaco e na manchete, e ” desenhos japoneses” começaram a serem os meus favoritos. Ainda mais porque eu sempre fui viciado em games e os melhores sempre foram aqueles com ” traços” japoneses 🙂

 

OG : Animes você tem algum, ou quais são seus preferidos?

Eduardo : Eu tenho uns 2Tb de Animes, quando eu era muleque, existia um canal chamado Locomotion e eu gravava (VHS) os animes que passavam por lá, foi nessa fase que eu conheci os meus animes favoritos: Evangelion, Dragon Ball Z, Saber Marionette, Those who hunt Elves e NeedLess.

Claro que tem muitos outros que eu já vi e gosto muito (Hajjime no Ippo, Grabble Baki etc) mas gastaria horas do tempo de vocês comentando sobre todos eles. Em resumo eu sempre digo que os animes são muito ricos se comparar com os desenhos ocidentais.

No EUA o foco eh sempre o mesmo, o mocinho tem um vilão e precisa salvar o mundo…. no Japão os personagens são mais humanos, você consegue se identificar com eles pelas atitudes, personalidade ou forma de ser. A cultura deles é muito mais rica e evoluída, deve ser por isso que muitos ” copiaram” o estilo Anime de desenhar.

 10254024_622392767829858_3005696976298987869_n

OG : Todo mundo tem uma história para começar, você começou a fazer cosplay por influência ou porque você teve a ideia por si mesmo?

Eduardo : O meu caso, posso dizer que comecei a fazer cosplay quando essa palavra NEM era conhecida no Brasil (risos), foi em 1997 quando surgiu o game King of Fighters 97 e eu achava muito estiloso o visual do Ryuji Yamazaki. Na época eu tingi o cabelo, usava as mesmas roupas e decorei todas as falas dele no jogo.

A palavra Cosplay eu apenas fui conhecer anos depois quando eu fui em um dos primeiros eventos de anime em são paulo ( AnimeCon). Quando vi tudo aquilo pensei: ” um dia eu vou fazer cosplay tão legais quantos aqueles que vi no evento de anime”

 

OG : Qual foi o seu primeiro cosplay? E quais foram suas motivações para continuar a fazer seu trabalho? E dentre todas, qual foi a maior dificuldade que você encontrou?

Eduardo : Tirando o caso do Yamazaki (risos) meu primeiro cosplay (consciente) foi o mago do game Ragnarok. A minha maior motivação sempre foi: ” quero dar vida aos personagens que eu gosto ou conheço”, seja por mim ou pelos fãs do personagem. Afinal, eu sempre fui um otaku sem saber, pois nasci no bairro da Liberdade ( maior colônia japonesa no brasil) e sempre admirei e vivi entre a cultura deles.

Eu sempre digo que para mim, a maior dificuldade esta em financiar um cosplay, pois qualidade tem seu custo e não existe formas de você  ter um retorno financeiro usando cosplay, pelo menos não no Brasil (risos).

 

OG : Você faz seus próprios Cosplays? Exemplo: Roupa, acessórios, armas, armaduras e etc …

Eduardo : Não (vergonha né?), eu já tentei (juro mesmo) mas na minha visão, fazer cosplay é um hobbie, terapia, prazer ou diversão. Eu vejo meus cosplay como projetos onde eu reúno profissionais para me ajudar a cria-lo da forma como eu vejo na minha cabeça.

Não digo que isso eh certo ou errado, mas por causa do trabalho para pagar as contas, não posso investir tanto tempo na criação como eu gostaria.  Por isso que eu tenho uma estilista, cabelereiro, cosmaker de acessórios e amigos para juntos, criarmos algo, usando o que cada um sabe fazer de melhor.

O custo é maior, mas eu gosto mais de atuar como os personagens do que costurar ou seguir tutoriais para criar algo. Não se pode ser bom em tudo na vida, prefiro focar no que eu sou bom.

Mas repito, é opinião pessoal, admito que tenho inveja de quem consegue criar tudo do zero sozinho, mas não nasci com esse dom (risos).

 80cr

OG : De todos os seus Cosplay , qual o seu favorito?

Eduardo : Eu não saberia dizer qual é o melhor, pois quando eu vejo os que eu já fiz, vejo uma evolução do visual e minha também, seria injusto eu comparar um cosplay que fiz recentemente (Erwin Attack On Titan por exemplo) com algum que fiz anos atrás. Cada um que fiz tem seu valor especial e sua historia na minha vida 🙂

 

OG : Qual a sensação ao finalizar seu cosplay? Você é muito assediado em eventos em questão de pedirem fotos suas?

Eduardo : Eu tenho sorte pois meu irmão mais novo gosta do mundo de animes mas não eh viciado como eu, logo ele eh sempre o primeiro a ver meus cosplays pois se tiver algo ruim, eu sei que ele vai falar antes de eu sair de casa (risos).

Por isso ele é o meu senso critico, se ele colocou defeito, é porque não ficou bom ainda (risos). Sim, assedio faz parte da diversão, eu sinto como um ator de cinema que conseguiu dar vida a um personagem que muitos gostariam de ver pessoalmente.

Já teve evento que usei o Gavião arqueiro onde eu não conseguia chegar na área de alimentação pois eram muitas pessoas pedindo fotos, e eu não consigo virar as costas para eles, pois eu sou fã de cosplay, e sei como é chato pedir para tirar uma foto e a pessoa falar:

” pode ser depois?” e eu saber que não vou acha-la depois (risos) por isso que eu já saiu pensando: ” esse cosplay vai chamar atenção, vou comer muito pois não terei folga no evento ” ( risos ) 

 

OG : O que o mundo cosplay trouxe de bom para a sua vida pessoal ? Eduardo : Muitos amigos, muita cultura, conhecimento e aprendizado e até conseguir diminuir muito a minha timidez (sim sou nerdão e sempre tive vergonha para falar com as pessoas, ainda mais mulheres uahuauauah). Coisa típica de anime né? (risos) 

 

OG : Você se arrependeu de algum cosplay que fez? Ou pensa que poderia ter melhorado algum?

Eduardo : Sim, todos (risos), pois depois que você faz um cosplay, tira fotos e analisa em casa, é normal você achar detalhes a melhorar. Por eu ser um executivo e empreendedor, tenho o costume de pensar que tudo o que eu fiz, pode ser melhorado.

Não digo que é algo saudável pensar assim (risos), mas se bem controlado, pode ser útil como forma de motivação para refazer ou melhorar algum projeto.

 560245_10150720607278770_1157500383_n

OG : O que seus pais acham de você fazer cosplay? Houve algum preconceito por parte deles ou dos seus amigos?

Eduardo : PUTZ, varios (risos) quando eu comecei tingindo o cabelo igual do Yamazaki (KOF) meus pais falava: ” tudo bem, é apenas uma fase, logo passa”. Meus amigos falavam: ” bom, pelo menos tem saúde né?”, colegas do trabalham zuavam direto.

Mas no fundo, todos viram que eu faço cosplay de forma saudável, não vou deixar de viver, passear, ou curtir algo pois quero fazer o cosplay X, Y ou Z. Na verdade o pessoal pegava mais no meu pé por ficar horas jogando videogame, pois pelo menos no cosplay diziam que eu estava saindo de casa ( risos) .

 

OG : Algum personagem em vista para um futuro cosplay ?

SIIIM, vários. (bleach, Dragon Ball Z, NeedLess, Belzebubb, etc) Tem muito anime que eu preciso ter um cosplay. Eu digo que cosplay é como tatuagem, vicia, tem significado e sempre queremos fazer mais (risos). 

 

OG : Você já participou de algum concurso ou, Já ganhou algum prêmio? Se sim, qual?

Eduardo : Nunca participei (vergonha né?). Eu não gosto de concurso, pois ate hoje, todos meus cosplay foram feitos em equipe, na minha visão, eu não acho justo eu concorrer com alguém que fez tudo sozinho.

Um dia eu participarei ou se aprender a fazer tudo do zero ou se tiver um torneio onde seja dividido os participantes que fizeram sozinhos daqueles que possuem os famosos ” padrinhos mágicos” ehehehehe

 1077192_10151730398038770_378715601_o

OG : As pessoas já te reconheceram fora dos eventos como cosplayer? Ou nos evento sem que você estivesse com cosplay?

Eduardo : Creio que quem me conhece como cosplayer, são as pessoas que fazem parte dos campeonatos de games que eu faço nos fins de semana, pois eu sempre apareço no stream com algum cosplay ou pessoas que me viram no evento e me adicionaram no facebook para manter contato ou para saber quais serão os eventos que irei e com qual cosplay 🙂
Creio que fiquei um pouco mais conhecido depois que apareci em programas de televisão ( Quem fica em pé, Topa um acordo, CQC e outros)
Mas nunca me imaginei ser famoso pelos cosplays que eu faço, se acontecer, poderei dizer que foi algo natural, sem aquela ” neura” de querer aparecer.

 

OG : Você gosta de música japonesa também? Quais são suas músicas, cantores(as) ou bandas favoritas?

Eduardo : Gosto muito rapaz, desde o X-Japan, D, The Gazette, l’arc en ciel e musicas de abertura e encerramento de animes como (Bleach, Naruto, Death Note, Dragon Ball Z, Hajjime no Ippo, Kuroshitsuji entre outros).

 

OG : Como hobby o que você gosta de fazer quando não esta nos eventos de cosplay ?

Eduardo : Hobbies, Videogame, ouvir musicas de rock / metal / sinfônica, ver animes, ler mangás, fazer campeonatos de games e edição de vídeos.

 10498366_658244960916534_3169528486977958777_o

OG : Você curte games? Joga algum online ou console? Se sim, qual é seu jogo favorito?

Eduardo : Eu nasci jogando videogame, desde o atari ate o Ps4.  Os mais marcantes da minha vida são:

-Games de luta (King of Fighters, Tekken, Street fighter) mas eu joguei todos os games de luta pois sou viciado em artes marciais, 

-RPGs (Final fantasy 7,8,X, chrono trigger, legend of Mana, Zelda Ocarine of time) são o estilo de game mais rico na minha opinião, pois possuem historia e eu aprendi inglês lendo e traduzindo esse estilo de game

RPG Online ( Word of Warcraft, Ragnrok)
-Fliperama ( Vendetta, Pit Figher, Tartarugas Ninja, Double Dragon, Daytona, etc)


tem muitos outros games que eu gosto, mas não tem como falar todos, ( ninguém vai querer ler isso depois)

 

OG : Já aconteceu alguma coisa engraçado ou inusitada com você em um evento ?

Eduardo : hora de dar risada né? (risos) Já teve vez em que eu estava com um visual steampunk em um evento, e duas garotas começaram a puxar assunto e quando eu vi, elas me deixaram só de cueca no local (resumo). Outra vez, eu estava assistindo um campeonato de games de luta, e um rapaz estava xingando o personagem que o adversário estava jogando, quando ele me viu usando o mesmo visual que o personagem, falou:” bom, se ele esta no jogo é porque pode usa-lo ne he..he..he…?”

Outras coisas engraçadas aconteceram fora dos eventos, pois eu tenho o costume de ir para o evento já com o cosplay, resultado, quando alguém vê  o meu cosplay no metro, ônibus ou na rua, pede uma fotos no estilo “os personagens no dia a dia” …. sofrendo nas conduções, fingindo que estou sendo roubado, comprando coisas e etc heheheheh…


OG : Qual é a sua opinião sobre os cosplays atualmente? Você acha que eles melhores ou piores?

Eduardo : Muito mais do que uma hobbie, cosplay é um fator cultural que esta crescendo e tendo visibilidade e reconhecimento fora do ” mundinho ” de eventos de anime. Claro que ainda escuto pessoas me zuando nas ruas, mas muitos já me olham e falam “aquilo é um cosplay” .

Creio que cada vez mais, teremos pessoas fazendo pois hoje em dia a informação é maior e o custo é menor do que antes. A prova disso é ver os brasileiros fazendo cosplays iguais ou melhores que os Americanos e japoneses, que para mim, são as duas maiores potências de cosplay no mundo.

 10562967_1478743022368663_2308352051697808657_n

OG : Por fim, muito obrigado pela sua participação e por nos ceder essa entrevista. Se você quiser, deixe uma mensagem para seus fãs e amigos!

Eduardo : Agradeço esse espaço que vocês me deram para falar sobre mim, é legal pois muita gente fica curioso em saber mais sobre essa minha paixão.

Quero mandar um beijo e abraços para todos meus amigos que estão sempre junto comigo nos eventos, campeonatos de games, me apoiando, rindo de mim nas redes sociais, ou conversando (trocando conhecimento). Sem vocês pessoal, não teria evoluído tanto.

 

Um beijão para minha mãe que hoje em dia aceita melhor os cosplay (talvez porque apareci na TV -_- ) mas ela sempre me apoia e me ajuda como pode… devo muito o que eu sou a ela, e se hoje as pessoas me elogiam, é porque recebi uma educação impar dentro de casa ^_^

E para quem teve paciência de ler tudo isso, espero que tenha ficado motivado a fazer o participar mais dos eventos de animes, games e coisas Geeks…. pois se eu era tímido e consegui superar meus limites, qualquer um consegue ^_^

Quem quiser me adicionar nas redes sociais, (facebook Eduardo Kiss, PSN EduKiss), fiquem a vontade. Não tenho vergonha em responder ou adicionar pessoas pois eu sempre aprendi coisas legais com cada um que eu converso pessoalmente, ou online

 

edu

 

You may also like...