Entrevista Cristine

OG : Bem inicialmente muito obrigado por conceder um pouco do seu tempo, Para começarmos  poderia nos dizer o seu nome e idade ?

Cristine : Cristine Granato, atualmente 20 anos. Estou fazendo  aniversário hoje dia 28 de Maio. :3

 

OG : No momento você Trabalha, estuda ou  faz faculdade?

Cristine :  Sim, no momento eu trabalho. Larguei a minha faculdade em Março do ano passado, cursava Turismo na Anhembi  Morumbi  com  bolsa integral, mas depois de 1 ano e 3 meses resolvi trancar o curso pra me focar em tentar entrar na USP no curso de Letras. Essa é a minha meta atualmente.

 

OG : Quando foi o primeiro contato com animes ?

Cristine : O primeiríssimo foi quando eu tinha 5 ou 6 anos, eu assistia Pokémon pela Cartoon todos os dias depois que chegava da escola. Mas eu não sabia diferenciar anime de desenho na época, então só com uns 11 anos eu entendi a diferença e ai sim assisti meu primeiro anime baixado, Death Note.

 

OG :  Animes você Tem algum ou quais  seus preferidos ?

Cristine : Quais animes eu tenho? Acredito que nenhum, porque não faço coleção. Mas, quais animes eu assisti…vish, a lista é grande, só deixei de assistir todo dia quando fiz 17 anos e entrei na faculdade, mas dos 11 aos 17 assistia quase diariamente. Já cheguei a passar um fim de semana todo assistir Bleach e Naruto, para que eu conseguisse acompanhar… É mais fácil falar dos meus preferidos: Elfen Lied, D.Gray-man e Bleach. ♥

 

OG : Todo mundo tem uma história para começar, você começou a fazer cosplay foi por influência, ou você teve a ideia de começar a fazer ?

Cristine : Eu sempre pesquisei sobre cosplays, é natural depois que você começa a assistir animes, ler mangás e saber mais sobre a cultura japonesa. Mas eu nunca tive condições financeiras, e muito menos sabia onde encontrar certos itens e por fim, ninguém me motivava a isso.
Quando eu comecei a namorar, o meu namorado já fazia cosplay de Brock e começou a insistir para eu fazer cosplay de Misty. Demorou uns bons meses para eu ceder, não por falta de vontade de fazer, mas por vergonha do que falariam nos eventos e etc. Foi então que quando eu vi que o tema do Anime Fantasy  2012 era de Pokémon, fiquei muito animada e decidi fazer. Afinal, o cosplay de Misty não era tão complexo de se fazer. Na primeira vez que fiz usei meu próprio cabelo, porque não encontrei a peruca e mesmo assim fomos muito bem aceitos no evento. Todos foram super amigáveis conosco. E eu acabei me sentindo bem, por fazer algo que eu queria muito fazer…só estava com medo. Desde então, eu sabia que deveria continuar pensando e motivando as pessoas a fazer cosplay.

 

OG : Qual Foi primeiro cosplay que vocês fez, E motivações para continuar a fazer o seu trabalho e o que mais dificultou ?

Cristine : Misty – Pokémon, primeiro e filho único enquanto meu cosplay de Lenalee – D.Gray-man não fica pronto e não consigo encontrar as lentes perfeitas pro da Lucy – Elfen Lied.
Motivações: Meu namorado, meus amigos e o pessoal da Cosplayer Depressivo, ao mesmo tempo que eu motivava eles, eu me motivava.
Dificuldade: Falta de dinheiro, falta de contatos, falta de conhecimento sobre algumas coisas…

 

 

 OG : Você faz seus cosplay, as Roupas, Acessórios,  Armas, Armaduras ?

Cristine : Não, não tenho aptidão para costura, nem maquina e nunca tive um curso…nem alguém que me influenciasse/ensinasse a costurar. Só costuro se tiver rasgado e fim OAPSKAPOKSPOKASPOKAS. Mas eu tenho muita admiração pelos cosplayers que além de cosplayers, são cosmakers e não dependem de ninguém além deles pra finalizar seus projetos. Mas não tenho nenhuma vergonha pra finalizar um cosplay eu preciso depender de outras pessoas. :3

 

OG : Qual a sensação ao ter seu Cosplay finalizado, ir ao evento ser assediado para tirar fotos ?

Cristine : “Assediado” eu acho que não seja a palavra certa. Pra mim a sensação de finalizar um projeto e ser reconhecida em um evento é única. O pessoal não sabe o que você passou pra finalizar aquele cosplay, mas mesmo assim eles estão mais animados do que você mesmo e isso é recompensador. Mas não só isso se torna – de certo modo – uma meta pessoal, finalizar um cosplay, mesmo que ninguém reconheça… Ou você não ganhe um concurso, eu penso no fundo: ‘UFA, consegui! Já posso pensar no próximo!’

 

 OG : O que o mundo cosplay trouxe de bom para a sua vida pessoal ?

Cristine : Amigos, sorrisos, confiança e autoestima.

 

OG : Alguns dos cosplay que você fez se arrepende de algum, Ou pensa que poderia ter melhorado aquele cosplay, que talvez teve que ser feito meio que as pressas ?

Cristine : No da Misty eu não fiz o detalhe do sapato por falta de tempo e até hoje, não tive tempo devido aos outros cosplays que estão em andamento. E no fundo, você só para pra pensar nos detalhes que faltam alguns dias antes do evento: “Poxa, poderia ter finalizado isso. Poderia ter melhorado isso. Vou fazer agora…”.

 

OG : O que seus pais acham de você fazer  cosplay, Houve algum preconceito da parte deles ou de seus amigos? 
Cristine : Meu pai não acha muito coisa, já que ele não participa tanto assim da minha vida. Minha mãe gosta, tira foto com as minhas perucas, fica assustada quando coloco as lentes, fala: “Você vai fazer cosplay de Pokémon de novo? Quando vai ficar pronto aquele outro?”… Essas coisas. Ela nunca implicou, porque viu que isso se tornou uma coisa que me fazia feliz.
Ah… Se houve preconceito da parte dos meus amigos, eu nunca percebi.

 

 OG : Algum personagem em vista para um futuro cosplay ?
Cristine : A Lenalee versão 3rd Uniform está sendo finalizada, se tudo der certo consigo deixar meu cosplay de Misty em casa e vou pro Anime Friends de Lenalee. A Lucy está 70% pronta. E tem outro projeto que prefiro deixar em surpresa até finalizar esses dois.

 

OG : Você já participou de algum concurso, ganhou algum prêmio de Cosplay, qual ? 
Cristine : Não. OPASKAPOKSSOKPOKASPOKSAS Quem me dera. Mas quem sabe um dia!

 

OG : Pessoas  já te reconheceram como cosplay  fora dos eventos, Ou nos eventos sem cosplay ?

Cristine : Hmmm, não me recordo no momento. Acredito que não. No Maximo falaram: “Nossa, você é a Cris da Cosplayer Depressivo”

otaku gattai3

 

OG : Gosta de música japonesa também, Quais são suas músicas, cantoras ou bandas favoritas ?
Cristine : Sim, adoro música japonesa, tanto que minha banda preferida é japonesa.
Minha banda preferida é L’Arc~em~Ciel, fora ela gosto muito de One Ok Rock e Maximum The Hormone.
Minha música preferida é Hoshizora do L’Arc.

 

OG : Como hobby o que você gosta de fazer quando não esta nos eventos de cosplay ?
Cristine : Eu gosto de ir a fliperama com meus amigos, ou levar meu sobrinho pra passear, gosto também de visitar lugares novos sempre que possível. Além de que eu amo ir ao cinema! Ler era um hábito até meus 17 anos… depois deixei um pouco de lado, mas pretendo retornar a isso.

 

OG :   Você curte games seja Online ou console , qual é o seu jogo favorito de todos os tempos? 

Cristine : O único game online que já joguei foi The Duel, joguei durante muitos meses…realmente me viciou, só parei de jogar porque meu computador quebrou.

De console eu jogo/joguei bastante Super Street Fighter IV e Tony Wawk’s. Definitivamente meu jogo favorito é SSFIV!

 

 OG : Já aconteceu alguma coisa engraçado ou inusitada com você em um evento ?

Cristine :  Sim, foi no Anime Party 2014 (esse ano) eu estava sentada na escadinha comendo um Hot Dog quando uns moços pediram que eu me levantasse para que pudessem passar com um freezer, então me levantei. Mas esqueci de que meu celular estava no colo e ele caiu no chão e se desmontou todo. E a capinha que prende a bateria caiu dentro da vala onde a água da chuva é drenada, entrei em desespero, sai correndo atrás de um staff pra me ajudar. Então um veio me ajudar, pegou 2 palitinhos de churrasco e durante uns 15 minutos, ficou na tentativa de tirar a capinha de lá, já que a trava estava lacrava. Após os 15 minutos ele conseguiu tirar de lá, fiquei muito agradecida e paguei um Melona pra ele como agradecimento. Foi isso. ♥

 

 OG : Qual a sua opinião sobre os cosplay  atualmente, Você acha que eles estão melhores ?

Cristine : Sim, estão. Os fatores são diversos: a ideia de ser cosplayer já esta sendo mais aceita, a comunicação entre cosplayers e aspirantes a cosplayers é maior do que antigamente o que facilita –e muito – a conseguir uma dica/informação sobre algo. Os sites de importações e as lojinhas já estão ficando mais acessíveis. Estão aceitando boleto, cartão de crédito e etc. O que facilita alguém a comprar uma lente, uma peruca ou até mesmo um cosplay. Além de que hoje em dia, você consegue encontrar ou disponibilizar um bom tutorial em questão de minutos. É muito mais prático do que na época em que todos tinham que usar aquelas perucas de carnaval que achavam na 25 de Março e chorar para a avó ou a mãe costurar suas roupas cosplay.

 

OG : Por fim obrigado pela entrevista, Deixe uma mensagem para seus fãs e colegas !

Cristine : “Fãs” POASKAPOKSAS bom, acredito que eu não tenho fãs, apenas colegas, amigos e pessoas que me conhecem…não que sejam fãs.
Bom, já que eu tive a oportunidade de falar algo o que eu tenho a dizer é:
Sejam vocês, tracem metas, finalizem seus projetos, tenham foco…não se importe com o que os outros digam, se for se importar, pegue as opiniões positivas e negativas e as transforme em motivação para conquistar o que você quer.
E a melhor parte de fazer isso, não é provar pros outros que você pode superar as expectativas deles sobre você. E sim, que você pode superar as suas próprias expectativas sobre você. Agrade a você e não aos outros. Força, foco e fé, acima de tudo… Isso você aprende nos inúmeros animes shounen/shonen, mas é sempre bom reforçar essa ideia. É isso que eu tenho a dizer.

Ahhh, eu também gostaria de agradecer a oportunidade… Não queria dar essa “entrevista” porque não acho que estou no nível cosplay a merecer uma entrevista, porém só quis finalizar essa entrevista pra dizer para pessoas assim como eu, que ainda não se veem dignas (no âmbito cosplayer) de dar entrevistas, mandar cosplays para páginas, participar de campeonatos e etc, que vocês se esforcem e superem a si mesmos. Essa é a maior vantagem de ainda não se considerar “bom o bastante”, ou seja, a vantagem é que você tem meios de se superar. Obrigada.

Otaku Gattai

You may also like...

Deixe uma resposta